Como acontecem os filmes? – Entenda os processos que ‘A Seleção’ vai passar até chegar aos cinemas.

Nessa semana, o Pouya Shahbazian (Produtor de A Seleção) compartilhou esse texto da autora Ally, explicando sobre como é difícil fazer um filme. E disse que isso também serve para o nosso filme, afinal, toda adaptação passa pelo mesmo processo.

Tradução: The Selection Brasil (@ASelecaoBR)

 

Escreva um livro – qualquer livro – e eu prometo que alguém vai perguntar “terá um filme?” Ou “Por que VOCÊ não faz um filme?” (acho que recebo essa pergunta porque eu comprei essa câmera de vídeo nova…)

Há muitos equívocos sobre o negócio do livro, mas nada se compara aos equívocos envolvendo o processo do livro para filme.

Eu tive três opções de filmes diferentes com três diferentes estúdios/empresas de produção, e ainda assim eu não sei tudo o que precisa saber sobre como e por que os filmes acontecem. Mas vou compartilhar com vocês hoje o que sei, na esperança de que talvez alguns desses equívocos possam desaparecer por um dia ou dois.

 

 RENÚNCIA

 

A primeira coisa que você precisa entender é que nem toda situação é a mesma. É daí que muitos equívocos vêm, eu acho.

Quando eu digo “os autores não têm o poder ou dinheiro para fazer um filme eles mesmos” e aparece alguém e diz: “Mas James Patterson está fazendo isso!”

Quando eu digo: “os autores não têm nenhum poder na escolha do elenco” e aparece alguém e diz: “Hm, mas a JK Rowling teve!”

Quando eu digo: “os autores não têm controle sobre o roteiro”, aparece alguém e diz: “mas Susanne Collins escreveu o roteiro de Jogos Vorazes.”

Todos os casos citados acima são EXCEÇÕES para a regra. Todos eles. E eles também são grandes exemplos de …

 

DOIS TIPOS DE OPÇÕES

Tipo 1: Se o livro é um sucesso estrondoso e bem estabelecido, do tipo Harry Potter ou Crepusculo, quando o acordo do filme é feito, esse autor tem muito mais controle do que o habitual, porque nessa nesse caso, Hollywood PRECISA MUITO DELES. E eles vão fazer de tudo para consegui-lo, incluindo dar poder ao autor na adaptação.

 

Se, como Susanne Collins, o autor do livro adaptado tiver experiência em escrever roteiros para cinema, ele ou ela pode até receber uma chance para escrever o roteiro. (Nota: Depois de Susanne Collins escrever, o roteiro de Jogos Vorazes foi dado a um roteirista de Hollywood para reescrever por cima das partes dela.) Então ainda assim, eles não têm 100% de controle.

Estes tipos de acontecimentos são, por definição, muito raros. Então, esses tipos de acordo com os autores dos livros são ainda mais raros. São quase inexistentes. E eles são a função do poder e do tempo. Se o acordo for feito antes que o livro se torne um fenômeno mundial, as regras usuais e simples provavelmente se aplicam (porque essas eram as regras quando os termos foram negociados).

 

Tipo 2: Se o livro não é um mega-sucesso no momento em que é negociado ou se o autor não é um roteirista bem estabelecido (como Nicholas Sparks), as chances de que o autor do livro tenha algum poder sobre o filme são mínimas.

Claro, às vezes, haverá vários estúdios interessados, o que certamente ajuda o autor, mas, na maioria das vezes, como aprovação de roteiro ou produção de créditos são completamente, 100% fora da questão.

Por quê? Porque nós somos autores de livros, não de filmes. Além disso, francamente, porque Hollywood já tem muitos roteiristas em seu departamento. São necessários milhões de dólares para fazer um filme e com isso ocorrem cerca de um milhão de aros para saltar e um milhão de pessoas para agradar.

Como meu agente do filme me explicou durante o leilão do filme da Heist Society “Nenhum estúdio vai investir milhões de dólares em algo e deixar o autor manter o controle do liga e desliga.”

É por isso que a aprovação do roteiro é risível para alguém como eu. É por isso que – com muitas exceções – nenhum autor jamais se envolverá na escolha do elenco. Porque não é o seu departamento, e porque as coisas não funcionam assim.

Mas realmente, tudo depende dos termos da sua …

 

 OPÇÃO

Se existe uma empresa de estúdio ou produtora que gosta de seu livro e quer fazer um filme, eles podem comprar os direitos do filme ou podem apenas “optar/opcionar” (ter a opção) pelos direitos do filme.

Uma opção de filme é como colocar o livro na estante para ler depois. Eles não estão comprando o direito de fazer um filme. Eles estão comprando o direito para PENSAR SOBRE fazer um filme.

Eles não precisam fazê-lo – se não quiserem. Mas eles têm um período de tempo definido (geralmente um ano ou 18 meses) para pensar sobre isso e, o mais importante, trabalhar em um …

 

 ROTEIRO

O roteiro é o rei.

Não importa o quão bem um livro esteja vendendo; Não importa o quão incrível seja um livro; O que importa em termos de fazer um filme é obter um roteiro que as empresas vão gostar e estarão dispostos a assinar, e então produzi-lo.

Porque até que o roteiro esteja certo, então não há porque ir atrás de um….

 

 TALENTO

 

Este é mais um exemplo de como as coisas neste processo podem e vão variar. Afinal, às vezes os livros são optados com algum tipo de ator/atriz “anexado” ao projeto. Quando já compram os direitos do filme com uma atriz/ator em mente, e já escalado para o papel. (Como por Exemplo: Miley Cyrus foi anexado ao filme WINGS muito, muito cedo.)

Às vezes, o livro é opcional com nenhum ator oficialmente anexado e, em vez disso, os produtores receberão o roteiro exatamente na altura, e possivelmente, vão levá-lo aos diretores (No nosso caso, Tea Sharrock) e, em seguida, o diretor trabalhará na escolha do elenco.

Ninguem sabe ao certo o melhor caminho ou a melhor maneira “garantida” de fazer um filme. Hollywood não é Oz, eles não adivinham as coisas. Há um monte de estradas de tijolos amarelos e cada um deles está à mercê do …

 

TEMPO E CALENDÁRIO

 

Digamos que há um roteiro realmente excelente baseado no seu livro favorito … Digamos que há uma atriz que é incrivelmente talentosa, muito carismática e combine completamente com o papel … Então essa atriz vai conseguir o papel, certo?

Talvez. Talvez não. Ninguem sabe se essa atriz já está reservada com um contrato com alguma empresa para os próximos três anos, então as chances são que o estúdio não espere ela terminar o seu contrato para então contrata-la.

Ou talvez eles consigam sua atriz de primeira escolha, mas apenas ao mesmo tempo que a terceira é escolhida?

Talvez sua atriz preferida tenha para o papel tenha feito uma bomba de filme no final de semana passado e todos os sites de noticias estão falando sobre ela, o estúdio agora a vê como uma bilheteria? Sim.

Talvez o estúdio tenha três projetos em andamento com outra atriz, então eles estão muito mais preocupados em fazer dela uma grande estrela …

O que a maioria das pessoas não consegue entender é que os filmes não são mágicos. Os filmes são investimentos muito caros e empreendimentos muito práticos. Os produtores, executivos e pessoas responsáveis ​​vão tirar suas decisões para o elenco, muito mais além do que a cor do cabelo, olhos e em parecer com o personagem. É o que eu estou tentando dizer.

 

“Quem é sucesso no momento?”

“Quem está flopado?”

“Quem está na mídia ou sendo bem falado e que vai agregar alguma coisa ao nosso filme?”

Estes são apenas alguns dos fatores que irão entrar na decisão. E além disso, as chances do diretor certo, o perfeito ator, a localização ideal para o filme e o homem principal sendo todos disponíveis no exato tempo, são bastante raros.

Talento na atuação importa, não me interprete mal.

Mas a disponibilidade e os lucros que a escolha desse ator trarão são bem mais importantes.

 

ENTÃO PRA QUÊ DEIXAR EMPRESAS COMPRAREM/OPTAREM OS DIREITOS DO SEU LIVRO SE VOCÊ NÃO PODE CONTROLAR O PRODUTO TERMINADO?

Não consigo falar por cada autor, então falo por mim mesma.

Eu amo filmes. E entrar em um cinema escuro e assistir uma das minhas histórias lá em cima na tela é um sonho que tive desde muito tempo. Eu quero que esse filme seja BOM? Claro. Eu pessoalmente tenho o poder de fazer um filme acontecer? Não. Eu simplesmente não tenho. E muito, muito, poucos autores já fizeram.

A outra razão pela qual a maioria dos autores está disposto a optar/vender os direitos dos seus livros é simples: um filme é basicamente um comercial de 2 horas para o livro. A empresa de cinema vai divulgar, pessoas vão assistir, e isso será mais um reconhecimento para a sua sobra.

É a melhor divulgação que qualquer autor poderia pensar para o seu livro.

 

COISAS PARA LEMBRAR

Os filmes são feitos por centenas de pessoas fazendo tantos trabalhos diferentes. E as chances de qualquer filme chegar a ficar pronto são incrivelmente raras.

Dos escritores que conheço, uma porcentagem bastante grande (eu diria que talvez 75 ou 80%) têm os direitos dos seus livros vendidos/opcionados em Hollywood. Mas apenas alguns verão alguma coisa realmente feita. Mesmo quando terminaram um roteiro e começam a falar com os diretores ou assinando estrelas, ainda há uma série de fatores que podem ocorrer para o filme não conseguir ser terminado.

Vender os direitos é “fácil”, basta ter uma história cativante com um bom enredo e empresas de cinema vão se interessar em compra-lo. Agora, passar por todo o processo de adaptação e ter o seu filme nas telonas, isso sim é difícil.

Basicamente, as chances de fazer um filme são pequenas. As chances de fazer um filme BOM, são minúsculas.

Mas continuamos tentando …

Continuamos tentando o tempo todo.

-Ally.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s